Login Register

Enactus Brasil e Fundação Cargill anunciam os 5 finalistas do Prêmio Alimentação em Foco 2018

O Prêmio Alimentação em Foco 2018, pela terceira vez, tem o foco em projetos que trabalham com agricultura familiar, combate ao desperdício de alimentos, educação alimentar e/ou empreendedorismo na cadeia de valor da alimentação. A Fundação Cargill e a Enactus Brasil acompanharam o desenvolvimento dos projetos, e aqui estão os times finalistas do prêmio, cujos vencedores serão conhecidos durante o Evento Nacional Enactus Brasil 2018, que acontecerá nos dias 18, 19 e 20 de Julho, em Fortaleza, Ceará:

 

IFCE IGUATU – PROJETO MUDAS
O Time desenvolveu um sistema de irrigação de microaspersão, com emissor alternativo (PIROTEC), que custa R$ 0,07 centavos. Foi desenvolvido também o IRRIGAS, que possui um custo de R$ 8,00 a R$ 10,00. Essas duas tecnologias inovadoras auxiliam na irrigação e no controle do uso eficiente da água, otimizando os recursos disponíveis nas comunidades trabalhadas. Em parceria com o Instituto Elo Amigo, o time está usando o sistema de reúso de água, reaproveitando a água doméstica que era desperdiçada. Com isso, cultivam nas comunidades o plantio de frutíferas que vai fornecer alimentos para fábrica de polpas.
Além disso, as criações de peixes e de aves estão presentes no projeto, propiciando aos agricultores um aumento de renda de acordo com seus objetivos de vida. Para a criação de aves, o time desenvolveu um modelo de chocadeira quatro vezes mais barato que as convencionais, assegurando renda e possibilitando progresso para as famílias. Já para criação de peixes, é utilizada a tecnologia de barreiros que são pequenos reservatórios, onde a criação de peixe é muito eficaz. O time também expande o projeto em campanhas educativas por colégios e zonas rurais da região, impactando três escolas da cidade.

UFCA – PROJETO BIO+
O projeto alia diversos conceitos de Permacultura para elaboração de uma produção sustentável. Integramos tecnologias para reutilização de água como uma fossa biodigestora para águas negras e o círculo de bananeira (basicamente um buraco com bananeiras em volta, que por sua alta capacidade de evapotranspiração proporciona uma reutilização adequada dessas águas) para águas cinzas com a produção de alimentos mais saudáveis, através da agricultura orgânica. Além disso, teremos várias capacitações para reutilização de alimentos de forma produtiva, como a produção de sabão e detergente a partir do óleo de cozinha, alimentos que podem ser reutilizados como a batata, a cenoura e a cebola, reutilização de resíduos orgânicos para a produção de adubo orgânico, e dos resíduos do coco babaçu e da macaúba para alimentação animal e outros meios produtivos. Ademais, a integração de outras tecnologias de baixo custo deve ser inserido para suprir as necessidades dos beneficiários.

UFAL – PROJETO AMITIS
A hidroponia é a técnica de cultivar sem uso do solo em que raízes recebem uma solução nutritiva, contendo água e nutrientes essenciais ao desenvolvimento. Para o projeto, usa-se o sistema desenvolvido pelo Eng. Mário Calheiros, composto por uma base suspensa de pallets, onde garrafas PET são usadas como canaletas para o cultivo. Técnicas de cultivo tradicionais são dependentes de solo, espaço físico favorável e possuem alto consumo de água, contrariamente ao modelo desenvolvido para o projeto, que permite uma redução em consumo de água de até 90% e implantação em comunidades vulneráveis com áreas degradadas e solos inférteis. Por possuir alto potencial produtivo em pequenos espaços e curto prazo, inserindo comunidades em um ciclo de produção, será realizado o estudo de viabilidade da utilização de bambu na estrutura de cultivo e em toda a instalação hidráulica da horta, possibilitando a aplicação de um cultivo que se tornou praga em locais turísticos como o Parque Municipal de Maceió.
UFPA – PROJETO FIERO
Desde que o projeto Fiero foi efetivado os membros passaram a se preocupar com a quantidade de alimentos que restavam nos chãos da feira de hortifrúti que compõe o Complexo do Mercado de São Brás, esse sendo patrimônio tombado em Belém. Desses alimentos, são encontradas cascas dos mais variados tipos de frutas, frutas batidas porém ainda ideais para consumo, frutas com má formação, entre outros. Diante desse panorama, o projeto se torna uma extensão do trabalho já existente com os feirantes e passa a contextualizar melhor esses resíduos, enxergando-os como matéria prima para novos produtos, como compotas e geleias elaboradas pelos familiares dos feirantes que se encontram desempregados. Dessa forma, o projeto dá uma nova face à cultura de desperdício que existe em locais de venda, se torna mais atrativo e passa a atrair mais clientes, além de gerar novas oportunidades e elevação da renda.
UVA SOBRAL – PROJETO SERTÃO SUSTENTÁVEL
O Projeto tem como pressuposto a necessidade de ponderar sobre nossas atitudes e responsabilidades com o futuro do nosso planeta e indaga: Que filhos deixaremos para esse planeta?”, “Quais os valores e atitudes desejamos multiplicar?”. Assim, o Projeto SerTão Sustentável anseia investir na promoção de ações delineadas nas boas práticas de produção de alimentos e consumo consciente. Para isso, deseja-se fomentar na comunidade, o desenvolvimento de ações pautadas no fortalecimento da agricultura familiar, principalmente em face da ampliação e aquisição dos gêneros alimentícios, suscitando ainda a minimização da perda e desperdício alimentar por meio da educação e da conscientização da população em relação ao aproveitamento das partes não convencionais dos alimentos, transformando hábitos e atitudes.
A Enactus Brasil parabeniza e agradece todos os times que se engajaram na parceria e em seus projetos, transformando e impactando realidades em situação de vulnerabilidade.

blog comments powered by Disqus