Login Register

Fundação Cargill e Enactus Brasil anunciam semifinalistas do Prêmio “Alimentação em Foco 2018”

Os estudantes de instituições registradas na Enactus Brasil puderam inscrever projetos no Prêmio Alimentação em Foco 2018 até dia 29 de setembro. Com foco em agricultura familiar, combate ao desperdício de alimentos, educação alimentar e/ou empreendedorismo na cadeia de valor da alimentação, o edital realizado em seu terceiro ano pela Fundação Cargill e Enactus Brasil selecionou os 15 times que irão receber mentoria e apoio financeiro destinado ao desenvolvimento dos projetos.
Em junho de 2018 serão selecionados os cinco finalistas dentre os 15 divulgados abaixo, que se apresentarão durante o Evento Nacional Enactus Brasil 2018, de onde sairão dois vencedores que conseguiram se apoiar com excelência nos critérios social, financeiro e ambiental. Confira a lista dos semifinalistas:

  • IFCE IGUATU

Projeto Mudas: O Time desenvolveu um sistema de irrigação de microaspersão, com emissor alternativo (PIROTEC), que custa R$ 0,07 centavos. Foi desenvolvido também o IRRIGAS, que possui um custo de R$ 8,00 a R$ 10,00. Essas duas tecnologias inovadoras auxiliam na irrigação e no controle do uso eficiente da água, otimizando os recursos disponíveis nas comunidades trabalhadas. Em parceria com o Instituto Elo Amigo, o time está usando o sistema de reúso de água, reaproveitando a água doméstica que era desperdiçada. Com isso, cultivam nas comunidades o plantio de frutíferas que vai fornecer alimentos para fábrica de polpas.

Além disso, as criações de peixes e de aves estão presentes no projeto, propiciando aos agricultores um aumento de renda de acordo com seus objetivos de vida. Para a criação de aves, o time desenvolveu um modelo de chocadeira quatro vezes mais barato que as convencionais, assegurando renda e possibilitando progresso para as famílias. Já para criação de peixes, é utilizada a tecnologia de barreiros que são pequenos reservatórios, onde a criação de peixe é muito eficaz. O time também expande o projeto em campanhas educativas por colégios e zonas rurais da região, impactando três escolas da cidade.

  • UFV CRP

Mulheres de Chaves: O intuito do projeto Mulheres de Chaves é despertar o lado empreendedor das produtoras, fazendo com que o diferencial existente nos produtos e em cada uma delas possa ser potencializado a partir da união estabelecida. Buscando atingir o objetivo principal do projeto, o grupo irá trabalhar com a autoconfiança das mulheres e no desenvolvimento do espírito empreendedor. Para isso, como forma de expandir o negócio e escoar as vendas por toda região de forma inovadora, será lançado um site de vendas que possibilitará a assinatura de cestas mensais e compra individual dos produtos, proporcionando rapidez e comodidade na negociação. As compras das cestas e produtos também poderão ser feitas na loja física na entrada da comunidade e em pontos fixos distribuídos pela região. Para agregar valor ao produto, as cestas contarão com panfletos sobre as Mulheres de Chaves, funcionando como um convite para que o consumidor conheça a história empreendedora dessa comunidade.

  • IFNMG

SobraNada: Visa o desenvolvimento de um aplicativo para compartilhar informações do preço e estado de conservação de frutas e verduras com os consumidores, baseado na redução de preços do alimento conforme a proximidade do vencimento. Com inputs da quantidade de entrada/saída dos mesmos durante o dia, o aumento de vendas poderá ser monitorado pelos vendedores utilizando um controle de estoque feito no próprio app. Para que o controle exista, capacitações de estoque e campanhas de conscientização serão realizadas nas redes sociais, compartilhando vídeos, imagens e depoimentos que exibem a grande quantidade de alimentos descartados por falta de destino adequado. O projeto tem despesa inicial de R$218.00, e despesas mensais aproximadas de R$30, relacionadas ao servidor. Para os workshops e campanhas presenciais utilizaremos o material de escritório em estoque. Para a sustentabilidade do aplicativo inicialmente usaremos o AdSense. Sendo o custo máximo de desenvolvimento no valor de R$1500.

  • UFCA

Bio+: O projeto alia diversos conceitos de Permacultura para elaboração de uma produção sustentável. Integramos tecnologias para reutilização de água como uma fossa biodigestora para águas negras e o círculo de bananeira (basicamente um buraco com bananeiras em volta, que por sua alta capacidade de evapotranspiração proporciona uma reutilização adequada dessas águas) para águas cinzas com a produção de alimentos mais saudáveis, através da agricultura orgânica. Além disso, teremos várias capacitações para reutilização de alimentos de forma produtiva, como a produção de sabão e detergente a partir do óleo de cozinha, alimentos que podem ser reutilizados como a batata, a cenoura e a cebola, reutilização de resíduos orgânicos para a produção de adubo orgânico, e dos resíduos do coco babaçu e da macaúba para alimentação animal e outros meios produtivos. Ademais, a integração de outras tecnologias de baixo custo deve ser inserido para suprir as necessidades dos beneficiários.

  • UNIVERSIDADE VALE DO ACARAÚ

SerTão Sustentável: O Projeto tem como pressuposto a necessidade de ponderar sobre nossas atitudes e responsabilidades com o futuro do nosso planeta e indaga: Que filhos deixaremos para esse planeta?”, “Quais os valores e atitudes desejamos multiplicar?”. Assim, o Projeto SerTão Sustentável anseia investir na promoção de ações delineadas nas boas práticas de produção de alimentos e consumo consciente. Para isso, deseja-se fomentar na comunidade, o desenvolvimento de ações pautadas no fortalecimento da agricultura familiar, principalmente em face da ampliação e aquisição dos gêneros alimentícios, suscitando ainda a minimização da perda e desperdício alimentar por meio da educação e da conscientização da população em relação ao aproveitamento das partes não convencionais dos alimentos, transformando hábitos e atitudes.

  • EEL USP

Projeto Cigana: O projeto visa empoderar pessoas interessadas em transformar sua realidade e começar um microempreendimento. O curso é a ferramenta que possibilitará essa mudança e o pão será o produto representativo, que tem fácil alcance grande aceitação por parte da população. Os impactados poderão utilizar o conhecimento adquirido para gerar renda e montar seu próprio negócio. Será possível, por meio da replicação do curso, estruturar um negócio de impacto social que gere renda para as comunidades adeptas, criando uma rede de influência no Vale do Paraíba.
Por ser saudável e com elevado percentual de fibras, o pão feito a partir do malte trás diversos benefícios à saúde e estimular o consumo deste alimento e a alimentação saudável causa um impacto na qualidade de vida das pessoas, permitindo que comunidades de baixa renda tenham acesso a um produto nutritivo. Por fim, o projeto tem um forte impacto ambiental, pois reaproveita o resíduo das indústrias cervejeiras para produzir alimento de qualidade.

LEÃO SAMPAIO

Sonhos de Dona Francisca: O projeto é realizado no Sítio Cruzeiro, Crato-CE – uma comunidade rica em biodiversidades localizada na chapada do Araripe, com mulheres que somente realizavam trabalhos domésticos. As principais dificuldades da comunidade eram a submissão feminina e a baixa autoestima das mesmas. O projeto tem o intuito de empoderar e emancipar estas mulheres economicamente por meio da realização de doces e salgados a partir do que era fornecido pela flora local, trabalhando assim a autonomia econômica, o desperdício de alimentos e a transformação social. Será construída uma cozinha comunitária para que as beneficiárias possam realizar as suas produções. O  time está realizando treinamentos culinários e técnico-administrativos, além de falar sobre questões de empoderamento feminino e o potencial de empreendedorismo para os negócios que as mesmas apresentam.

  • UFAL

AMITIS: A hidroponia é a técnica de cultivar sem uso do solo em que raízes recebem uma solução nutritiva, contendo água e nutrientes essenciais ao desenvolvimento. Para o projeto, usa-se o sistema desenvolvido pelo Eng. Mário Calheiros, composto por uma base suspensa de pallets, onde garrafas PET são usadas como canaletas para o cultivo.Técnicas de cultivo tradicionais são dependentes de solo, espaço físico favorável e possuem alto consumo de água, contrariamente ao modelo desenvolvido para o projeto, que permite uma redução em consumo de água de até 90% e implantação em comunidades vulneráveis com áreas degradadas e solos inférteis. Por possuir alto potencial produtivo em pequenos espaços e curto prazo, inserindo comunidades em um ciclo de produção, será realizado o estudo de viabilidade da utilização de bambu na estrutura de cultivo e em toda a instalação hidráulica da horta, possibilitando a aplicação de um cultivo que se tornou praga em locais turísticos como o Parque Municipal de Maceió.

  • UFPA

Fiero: Desde que o projeto Fiero foi efetivado os membros passaram a se preocupar com a quantidade de alimentos que restavam nos chãos da feira de hortifrúti que compõe o Complexo do Mercado de São Brás, esse sendo patrimônio tombado em Belém. Desses alimentos, são encontradas cascas dos mais variados tipos de frutas, frutas batidas porém ainda ideais para consumo, frutas com má formação, entre outros. Diante desse panorama, o projeto se torna uma extensão do trabalho já existente com os feirantes e passa a contextualizar melhor esses resíduos, enxergando-os como matéria prima para novos produtos, como compotas e geleias elaboradas pelos familiares dos feirantes que se encontram desempregados. Dessa forma, o projeto dá uma nova face à cultura de desperdício que existe em locais de venda, se torna mais atrativo e passa a atrair mais clientes, além de gerar novas oportunidades e elevação da renda.

  • UFRJ

Santa Horta: Surgiu por meio da parceria da Enactus UFRJ com alguns moradores locais, que querem revitalizar três terrenos baldios usados para descarte de lixo e entulho na comunidade Santa Marta. Desse modo, foram realizadas ações de limpeza, descontaminação e testes no solo com foco na criação de hortas para promover a conscientização ambiental e transformação do espaço. Estes terrenos, que somam mais de 800 m², serão mantidos pela comunidade local, principalmente pelos professores e pais das crianças que estudam na Creche Comunitária localizada próxima a estes terrenos. Nesta parceria, os professores poderão trabalhar a questão ambiental com as crianças, cuidando do espaço, educando e produzindo alimentos como cenoura e beterraba que serão a base para elaboração do principal produto: a tinta orgânica. Este produto, além de ser utilizado no dia-a-dia das crianças na creche, será produzido e vendido por pais interessados no projeto e em feiras.

  • UFU

Bread & Bug: Por meio do reaproveitamento de resíduos agrícolas gerados na comunidade Assentamento Nova Tangará e sua reintrodução na cadeia de produção alimentar, o time Enactus UFU fomentará o desenvolvimento de uma fonte alternativa de nutrição. O projeto será baseado na produção e processamento de insetos, empoderando a comunidade de maneira econômica, aumentando os rendimentos por meio da ação empreendedora com a comercialização deste produto; e ambiental, com a promoção e difusão da entomofagia como boa prática do desenvolvimento da sociedade.
O proejto possui como macroatividades a remodelação do sistema de captação e distribuição de água, a otimização e expansão da produção local, o gerenciamento de resíduos e a produção e processamento de insetos. Dessa forma, busca remodelar os modelos atuais de cultivo agrícola e introduzir novos caminhos cognoscíveis e eficientes para a sustentabilidade local, fundamentando as ações na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas.

  • FZEA USP

DesFrutando: Em meio a necessidade de empoderar a comunidade local e minimizar a quantidade de alimentos desperdiçados surgiu, em 2015, o projeto Desfrutando. O primeiro passo foi a elaboração de um curso, realizado em parceria com o Fundo Social de Pirassununga, que tinha dois focos: processamento com alimentos fora do padrão (alimentos “feios” porém, bons para o consumo) e empreendedorismo. Com incentivos e orientações para a elaboração de cardápios feitos com vegetais fora do padrão, duas mulheres resolveram inovar e criar o próprio negócio: o Marmita da Vovó, no qual são vendidas marmitas fitness, vegetarianas e caseiras, confeccionadas com os alimentos citados e tendo como público alvo os universitários da cidade. Além disso, foram oferecidos às duas mulheres cursos de Excel, BPF e controle de gastos, visando a sustentabilidade do projeto.

  • UENF GOYTACAZES

Trevo Orgânico: O projeto tem a finalidade de reestruturar o mercado municipal de Campos dos Goytacazes alinhado com campanhas de incentivo ao consumo de alimentos orgânicos. Pretende-se promover oficinas para os agricultores por meio da reutilização de todo refugo produzido para produção de adubo orgânico, oficinas com técnicas de plantio e otimização do espaço para plantação, oficinas de captação de água de chuva para irrigação e oficinas de receitas que tem como objetivo ensinar a reutilização de cascas e outras partes de alimentos sadios. O produto final será convertido em renda para toda família. Buscando trazer inovação para o mercado, será feita comercialização de suco verde, frutas e saladas em pote pronto para consumo e móveis de paletes, que serão desenvolvidos em oficinas para as mulheres e filhos dos agricultores com a reutilização de materiais que seriam indevidamente descartados, paletes ou garrafa long neck para comercialização do suco verde.

  • UFCA CRATO

HIDROLIFE: O projeto consiste na criação de sistemas hidropônicos para o cultivo de forragem animal para alimentação de caprinos, e hortaliças para comercialização, visando os fatores sociais, econômicos e sustentável de comunidades carentes das cidades de Crato e Barbalha, CE. O intuito de criar um espaço que vai muito além de cultivar alimentos saudáveis e de baixo custo, busca também valorizar o espírito empreendedor e cooperativo. Serão desenvolvidas palestras, capacitações e oficinas em que os participantes terão a oportunidade de acompanhar desde o preparo da semente até a colheita da planta usando materiais reciclados e de baixo custo para a elaboração dos sistemas hidropônicos, além de racionalizar o uso da água. O projeto visa o incentivo para uma melhor qualidade de vida dos participantes assim como geração de renda para as famílias.

  • UNIVASF

Caatinga Empreendedora: O projeto visa empoderar pessoas utilizando o Empreendedorismo Social. A transformação social será estimulada via Associação Comunitária de Curral Novo Jacaré, melhorando seu  modelo de negócio e a receita da venda dos seus produtos (licor, doce, geleia, polpa). O projeto visa a profissionalização voltada para a agroindústria da comunidade e implantação do ‘Sisteminha’- modelo de agricultura familiar desenvolvido pela Embrapa que visa a melhoria do hábito alimentar por meio de um sistema de produção de fácil manutenção que integra a criação animal, reaproveitamento da água, escassa na região, para irrigação.

Parabéns aos times selecionados!

Sobre a Enactus

É uma organização internacional sem fins lucrativos que fomenta o empreendedorismo social dentro das universidades. Está presente em 36 países e em mais de 1700 instituições de ensino. No Brasil, atua desde 1998 e tem times espalhados em mais de 90 universidades com projetos que causam impacto positivo na vida dos mais necessitados por meio de ações empreendedoras. Espera agregar o aprendizado na sala de aula e a criatividade dos jovens para colaborar com um mundo mais justo e sustentável.

No Brasil, a Enactus já impactou mais de 9.000 pessoas diretamente pelos projetos, em 2016. Pelo menos 2000 estudantes e 150 professores contribuíram para melhorar o ambiente por meio do empreendedorismo social. Enactus não é proposta de projetos, Enactus são projetos executados, é parceria e colaboração.

Sobre a Fundação Cargill

Há mais de 40 anos, a Fundação Cargill tem sido um agente transformador nas comunidades e causas em que atua. Seu foco de atuação está voltado à promoção da alimentação saudável, segura, sustentável e acessível, com iniciativas que vão desde o campo até o consumidor final. Em 2016, a Fundação Cargill desenvolveu e apoiou 40 projetos em 52 municípios, além de participar de 38 comitês de voluntariado. Com a ajuda de 625 voluntários, a instituição beneficiou 34.054 pessoas. Mais informações: www.alimentacaoemfoco.com.br.

blog comments powered by Disqus